Tratamento Compulsão Alimentar: Entenda o que é a Compulsão Alimentar, quando procurar Tratamento e como funciona o Tratamento Compulsão Alimentar.

Veja ao fim da página Informações sobre Tratamento para Comer Emocional

O que é Compulsão Alimentar?

A Compulsão Alimentar é um Transtorno Alimentar em que a pessoa come uma quantidade exagerada de comida sem ter nenhum controle e imediatamente depois passa a se sentir extremamente culpada por ter comido tanto assim.

A marca principal da Compulsão Alimentar é o comer excessivo somado ao descontrole e arrependimento, pois não se trata apenas de um momento em que diante de uma comida apetitosa se come além da conta, afinal todo mundo passa por isso de vez em quando. Pacientes com diagnóstico de Compulsão Alimentar vivenciam esta situação de forma cíclica e repetida.

Importante ressaltar também que na Compulsão não existe presença recorrente de comportamentos compensatórios ( Uso de laxantes, diuréticos, atividade física excessiva e vômitos)

Leia mais sobre o Transtorno de Compulsão Alimentar aqui

Quando Procurar por Tratamento?

Muitos pacientes procuram Compulsão Alimentar Tratamento para minimizar o sofrimento que vivenciam com a doença. Por conta da compulsão, eles costumam oscilar muito, por exemplo:

 

O paciente acorda pela manhã nutrindo a certeza de que naquele dia vai focar na alimentação correta e tudo vai dar certo, ele se mantem firme até um determinado momento, quando começa a ter pensamentos obsessivos relacionados a comida e ao desejo de comer; então tentará se controlar por algum tempo e quando não aguentar mais cederá comendo muito mais do que o necessário… Aqui a surge a culpa. O arrependimento. E a promessa a si mesmo de que amanhã vai ser diferente, que a alimentação do dia seguinte vai ser super leve e regrada. E então, começa tudo de novo, com o mesmo fim frustrante.

 

Por se tratar de um círculo vicioso e muito doloroso, esse funcionamento faz com que grande parte dos pacientes procurem por Compulsão Alimentar Tratamento, reconhecendo que não conseguem dar conta de modificar essa situação sozinhos.

Contudo, o melhor momento para buscar ajuda profissional é quando você sentir a necessidade de cuidar desta relação disfuncional com a alimentação.

 

Tratamento Compulsão Alimentar

 

Tratamento Compulsão Alimentar X Obesidade

É comum a associação entre Compulsão Alimentar e Obesidade e de fato existe até certo ponto uma correlação entre ambas, visto que os pacientes portadores do Transtorno de Compulsão Alimentar podem ingerir uma grande quantidade de calorias a cada episódio compulsivo e consequentemente gerar ganho de peso.

Apesar desta zona de intersecção entre elas, cabe ressaltar que apenas uma parte dos pacientes obesos (Estima-se que 30%) sofrem com o Transtorno de Compulsão Alimentar, isso quer dizer que o fato de uma pessoa ser obesa não significa que ela é portadora do Comer Compulsivo.

São transtornos diferentes e por isso o diagnóstico assertivo é tão importante para a conduta terapêutica no Tratamento Compulsão Alimentar.

 

compulsao-alimentar-tratamento

 

Compulsão Alimentar Tratamento

Pacientes com Transtorno de Compulsão Alimentar tendem a comer mais e ter mais episódios compulsivos diante de sentimentos intensos, chamamos isso de Fome Emocional ou Comer Emocional.

Em geral sentimentos “negativos” como Tensão, Raiva, Ansiedade, Insegurança, Rejeição, entre outros podem ser fatores desencadeantes de episódios compulsivos e alguns pacientes até conseguem perceber esta correlação, mas isso não é suficiente para freá-la.

O Tratamento Compulsão Alimentar objetiva mudar a relação disfuncional do paciente com a alimentação, o que é diferente de ter como objetivo primário o emagrecimento, apesar deste poder ser uma consequência do tratamento e trabalhado como objetivo secundário.

 

O tratamento indicado é acompanhado por Nutricionista e Psicólogo especializados, que já tenham manejo clínico para o Transtorno da Compulsão Alimentar. Desta forma, são alguns dos objetivos do Tratamento:

  1. Redução do número de Episódios Compulsivos
  2. Melhora na relação disfuncional com a Alimentação
  3. Controle da Ansiedade
  4. Controle da Impulsividade
  5. Aprender a Gerenciar Emoções
  6. Compreender o Ciclo Compulsivo
  7. Reconhecer e Manejar Gatilhos Emocionais
  8. Treinamento de Autocontrole
  9. Reconhecer crenças limitantes e disfuncionais sobre si mesmo

 

Caso você sinta dificuldade em controlar sua alimentação, esteja sofrendo com a sensação de perda de controle e não tenha conseguido resolver isso sozinho(a) não deixe de entrar em contato e buscar ajuda profissional.

O comer compulsivo é um Transtorno Alimentar e não regride com o tempo, ao contrário, precisa de tratamento especializado para ficar sob controle.

Conheça a Psicóloga Fabíola Luciano

Psicóloga Fabíola Luciano – CRP 104468

Especialista pela Universidade de São Paulo – USP

Psicóloga do Grupo de Apoio ao Comer Compulsivo do Hospital das Cínicas da Faculdade de Medicina da USP.

 

Criado em 22/06/2017

Atualizado em 29/07/2020

Ultimos Artigos

Assine nossa News

    Qual conteúdo quer receber por e-mail?

    4 Comments

    1. e 17 de janeiro de 2018 at 12:59 - Reply

      A senhora atende algum convenio?

      • Psicóloga Fabíola Luciano 18 de janeiro de 2018 at 11:40 - Reply

        Olá, bom dia!
        Obrigada pelo seu contato!
        Infelizmente não realizamos atendimento pela rede credenciada de nenhum convênio, mas atendemos por reembolso. Se for do seu interesse entre em contato para lhe explicar melhor como funciona ou agendarmos uma consulta.
        Muito obrigada e boa semana para você!

        Psicóloga Fabíola Luciano.

    2. Rosana Custódia Mota 14 de junho de 2018 at 14:42 - Reply

      Boa tarde , estou muito preocupada com minha filha , está sofrendo com compulsão e obesidade, gostaria de saber aonde você atende?

      • Psicóloga Fabíola Luciano 18 de agosto de 2018 at 19:41 - Reply

        Olá Rosana, boa tarde!
        Obrigada pelo seu contato!
        Por questão de privacidade respondi por e-mail a sua dúvida.

        Beijo grande,
        Psicóloga Fabíola Luciano

    Deixe um Comentário