Compulsão Alimentar

Compulsão Alimentar Foto: Freepik

O Que É Compulsão Alimentar?

Compulsão Alimentar ou TCAP (Transtorno da Compulsão Alimentar Periódica) é um transtorno alimentar que se caracteriza por uma necessidade incontrolável de comer ainda que não tenha fome.

Mesmo quando a pessoa já sente satisfeita fisicamente ela continua sentindo vontade de comer, e tem extrema dificuldade de parar.

Os pacientes que sofrem com a Compulsão Alimentar vivem momentos de crises em que perdem o controle. Também a quantidade de comida ingerida pode ser muito grande em pouco tempo.

Esses episódios são frequentemente acompanhados por sentimentos de culpa, vergonha e tristeza depois.

Saiba mais sobre os Transtornos Alimentares

Principais Sintomas

Causas da Compulsão Alimentar

Diversos fatores estão relacionados ao desenvolvimento do transtorno da compulsão alimentar. E em geral nunca se trata de uma causa isolada ou específica, estando dois ou mais fatores envolvidos.

A princípio, podemos destacar:

Causas dos Episódios Compulsivos Foto: Freepik
Causas dos Episódios Compulsivos Foto: Freepik

Ciclo Compulsão Alimentar

O paciente compulsivo além de conviver com os sintomas que causam muita ansiedade e sofrimento, acaba desenvolvendo um ciclo repetitivo em relação à alimentação.

Veja abaixo como funciona o Ciclo da Compulsão Alimentar:

  1. Gatilhos Emocionais ou Situacionais: O ciclo muitas vezes começa com gatilhos emocionais, como estresse, ansiedade, tédio, tristeza ou raiva. Situações sociais difíceis, conflitos interpessoais ou eventos estressantes também podem ser desencadeantes.
  2. Desejos e Pensamentos: Os gatilhos emocionais podem gerar desejos intensos por alimentos específicos. Pensamentos sobre a comida podem surgir com toda força e urgência.
  3. Perda de Controle: À medida que os desejos e pensamentos sobre a comida aumentam, a sensação de perda de controle também cresce. O paciente pode sentir que não tem mais capacidade de resistir ao impulso de comer, mesmo que inicialmente planeje não fazê-lo.
  4. Consumo Excessivo de Alimentos: Nesta fase, ocorre o Episódio de Compulsão Alimentar propriamente dito. O paciente não aguenta mais e consome uma grande quantidade de comida num curto período de tempo, frequentemente de forma mais isolada ou automatizada.
  5. Alívio Temporário ou Prazer Imediato: Durante ou imediatamente após a compulsão, pode ocorrer uma sensação temporária de alívio emocional ou mesmo prazer.
  6. Sentimentos Dolorosos: A sensação positiva é muito passageira e logo substituída por emoções negativas, como culpa, vergonha, arrependimento, nojo, raiva ou tristeza.

Desta forma, o ciclo da Compulsão Alimentar vai se mantendo repetidamente ao longo do tempo. Oscilando entre momentos melhores ou piores, mas sempre presente. 

Como Avaliar A Gravidade Da Compulsão Alimentar?

A avaliação da gravidade da compulsão alimentar começa com uma entrevista clínica detalhada, visto que não existem exames para isso.

O Psiquiatra ou Psicólogo Especialista em Compulsão Alimentar compreenderá os sintomas, padrões alimentares. Também histórico de vida e familiar do paciente.

Levamos em consideração todos os fatores, entre eles intensidade e frequência dos episódios compulsivos.

Ainda que o estágio da doença esteja em um nível considerado leve é extremamente importante o Tratamento para Compulsão Alimentar. Isto porque os episódios não diminuem sozinhos com o passar do tempo, ao contrário, podem aumentar muito.

Quem Pode Desenvolver Compulsão Alimentar?

Não há uma regra ou combinação específica que leve alguém a desenvolver a Compulsão Alimentar. No entanto, sabemos que algumas vivências podem aumentar as chances de surgimento dos sintomas.

Sintomas das Compulsões Alimentares Foto:: Freepik
Sintomas das Compulsões Alimentares Foto:: Freepik

Se Não For Obeso, Então Não Tenho Compulsão?

Não confunda a Compulsão Alimentar com Obesidade, pois nem todo paciente compulsivo é necessariamente obeso. Este mito faz com que as pessoas deixem de buscar tratamento adequado, o que potencializa o problema.

É verdade que os episódios compulsivos podem trazer sim um aumento de peso. Contudo, ao contrário do que se imagina, a maioria dos pacientes compulsivos Não são obesos.

Eles podem até ter Sobrepeso, ou dificuldade de controlar a balança, mas são coisas totalmente diferentes.

Aqui Você Encontra As Diferenças Entre Compulsão Alimentar E Comer Emocional

Qual A Diferença Entre Compulsão Alimentar E Ansiedade?

Embora muitas pessoas descrevam os episódios compulsivos como momentos de ansiedade que acabaram na comida, a Compulsão Alimentar é bem maior do que isso.

A ansiedade pode potencializar ou desencadear um episódio compulsivo, porém é possível vivenciar o mesmo episódio sem presença de Ansiedade.

O que acontece é que nós temos muita dificuldade para compreender e interpretar as nossas inúmeras emoções. Com isso, quando estamos diante de outros sentimentos recorremos à ansiedade como explicação para o que experimentamos.

No entanto, na maioria das vezes, quando vamos investigar o gatilho para o episódio compulsivo, percebemos outras emoções envolvidas, como: Raiva, Frustração, Estresse, Tristeza, Medo, Decepção e tantos mais.

E você, consegue entender bem as suas emoções?

O Que Não Fazer Para Piorar Um Episódio Compulsivo?

Ninguém se sente confortável passando por um momento de Compulsão Alimentar. Apesar disso, é importante aceitar que ele já está acontecendo, ou aconteceu.

Em meio ao desespero agimos como se pudéssemos controlar. Todavia, a verdade é que tentar controlar um episódio compulsivo é como tentar impedir uma avalanche de neve com as próprias mãos.

Elas não são capazes de segurar, e não vão. Isso trará mais frustração. Então, esteja atento a estes comportamentos que não só não melhoram, como podem piorar a Compulsão:

  1. Autojulgamento – Se criticar, menosprezar e cobrar só vai fazer você se sentir pior, o que pode ser gatilho para mais episódios.
  2. Autopunição – Se punir porque novamente você teve um descontrole alimentar não fará com que eles diminuam e piora sua relação consigo.
  3. Promessas de que nunca mais comerá assim – Isso aumenta muita a expectativa sobre o que você come e essa expectativa pode desencadear outros episódios.
  4. Se engajar em práticas restritivas para compensar – Igualmente gerará muita ansiedade e cobranças, que podem terminar num outro episódio.

Quando Procurar Tratamento?

Isso varia muito para cada paciente. Alguns buscam quando o peso está aumentando, outros quando não aguentam mais lidar com o descontrole ou sensação de fracasso. Todos os caminhos são válidos!

Tome um tempo para si e se faça as seguintes perguntas:

Há quanto tempo venho sofrendo com esta situação? Como isso vem afetando minha qualidade de vida? Eu estou efetivamente conseguindo lidar com isso sozinho?

Uma das grandes dificuldades é que, os pacientes não identificam a compulsão alimentar como um problema que precisa de tratamento.

Muitas vezes, tentam se resolver sozinhos imaginando ser uma questão de “força de vontade”. E acabam demorando muito para buscar ajuda profissional especializada.

Tratamento Para Compulsão Alimentar Foto: Freepik
Tratamento Para Compulsão Alimentar Foto: Freepik

Tratamento Para Compulsão Alimentar

O tratamento pode envolver uma equipe multidisciplinar especializada, composta por Psiquiatra (Se necessário), Nutricionista Comportamental e Psicólogo Especialista em Compulsão Alimentar.

O Tratamento para a Compulsão Alimentar ajudará o paciente a romper esse ciclo compulsivo repetitivo. São utilizadas técnicas específicas que ao longo do tratamento trarão:

O tratamento especializado fará toda a diferença para uma vida mais leve. Se você percebe que a Compulsão Alimentar tem tomado uma parte da sua vida, inicie o tratamento e comece a sentir estes benefícios.

Conheça a Psicóloga Fabíola Luciano

Instagram Psicóloga Fabíola Luciano

Psicóloga Fabíola Luciano – CRP 104468

Especialista pela Universidade de São Paulo – USP.

Artigos Recentes

Ter uma boa relação com a alimentação nem sempre é fácil. Muitas vezes, não conseguimos seguir uma dieta ou um

Mudanças de humor extremo, momentos de euforia oscilando com baixa energia, passando a afetar a vida do adolescente e causar

A Síndrome do Pânico Noturno é uma consequência do Transtorno de Pânico. Se manifesta através de crises de ansiedade repentinas