Separação: como superar os problemas e os traumas psicológicos provenientes da separação.

A separação é uma experiência bem dolorosa que desencadeia um estresse emocional por um longo tempo. Embora a vivência a dois já esteja desgastada e em uma situação também difícil, a dor de se separar é muito grande, pois representa uma perda.

E não apenas ao que tange perder o parceiro ou parceira, mas na construção de sonhos e planos que foram perdidos depois de compartilhados entre si. Assim, se torna uma dor extremamente profunda que merece atenção e cuidados especiais.

Em meio a esse rompimento, você é lançado a um território desconhecido e, certamente, a pergunta que paira na mente é: “- E, agora?” Tudo é interrompido: a quebra de uma rotina, a incerteza do futuro, a divisão dos bens, o distanciamento inevitável dos familiares, e outras situações a lidar.

Apesar de ser um momento delicado, mas é importante lembrar que você pode superar essa dor com um renovado senso de esperança e otimismo.

Como as pessoas vivenciam a separação?

A separação significa o fim de um relacionamento íntimo com o parceiro (a). Desse modo, a maioria das pessoas vivencia essa fase de forma turbulenta, com dificuldade em se comunicar com o outro (sem muito diálogo) e com grande dor na alma (feridas, falta de perdão, lembranças etc).

Então, por conta disso, muitas buscam orientação de um profissional psicólogo a fim de saber como lidar com as emoções surgidas do fim do relacionamento. E também como superar essa fase difícil.

A pessoa que pede a separação

Para quem pede a separação, o sentimento de desgaste emocional e mental é um dos fatores para tal decisão. No entanto, apesar da relação estar em um nível muito difícil de convivência em casa, essa pessoa vive em uma luta constante entre “decido me separar ou não?”. Assim, para não mais ter que enfrentar esse desgaste, estresse e brigas constantes, ela finalmente pede a separação como forma de aliviar a tensão. E também enxerga que não há mais solução para permanecer em união.

A pessoa que não queria se separar

A notícia do pedido de separação por parte do parceiro (a) pode causar surpresa e, com isso, a negação de querer se separar. Além disso, muitos parceiros tentam salvar a relação antes que ela chegue ao fim, porém, nem sempre o outro ou a outra pretende dar mais uma chance (até porque se resultou por alguma das partes é porque o relacionamento já não estava bem, não estava saudável). Desse modo, a pessoa que não queria se separar acaba dificultando o processo, não quer diálogo, não quer sair de casa, enfim, não aceita a separação.

Separação no Casamento Tratamento Psicológico

Separação e Autoestima

Toda separação abala, principalmente, o emocional de cada uma das partes da relação. Assim, uma das áreas de maior luta é a autoestima. Os sentimentos como rejeição, a dificuldade em seguir em frente, a mágoa, o choque, a traição, a raiva, a decepção e todas as sensações desagradáveis deixam a pessoa com uma baixa autoestima. E também ela perde o sentido da vida pensando, muitas vezes, que não conseguirá retomar o caminho. E, com isso, precisará lutar para recuperar o equilíbrio, vencer as frustrações e ajustar a vida para uma nova perspectiva.

Fases do Luto da Separação

As fases do luto da separação possuem alguns pontos em comum, embora cada pessoa lide de forma diferente com essa situação. Para algumas pessoas, esse momento de encontro com a dor virá. E é preciso entender como esse processo se desenvolve e como os sentimentos são experimentados durante esse luto. Eles não ocorrem na ordem exata, então, caso passe por um, certamente, pode reverter o outro.

Há, pelo menos, 7 fases de luto durante e depois da separação:

    • 1 – Negação: Você não consegue acreditar que a separação está realmente acontecendo
    • 2 – Dor e medo: Você sente todo o tipo de dor. Mas ao mesmo tempo em que dói é possível ver que você está vivo, pois é também um grande motivador e impulsionador
    • 3 – Raiva: O sentimento de frustração de que não deu certo
    • 4 – Negociação: Pode ser que você ou ele tente reatar a relação e, nessa fase, pode haver alguma promessa de mudança
    • 5 – Culpa: É possível que você diga a si mesmo que a culpa do término é sua. No entanto, não deixe que esses sentimentos de culpa o deixe numa prisão
    • 6 – Depressão: Pode ser inevitável evitar a depressão após a separação. Essa é uma fase bem delicada e que precisará de ajuda emocional e apoio social
    • 7 – Aceitação: E, então, chega na fase de aceitação. Assim, você aceita que realmente isso tinha de acontecer e não há mais como fugir. Nesse tempo, você consegue superar mais que aqueles que não aceitam.

    A mudança na Rotina

    A separação sempre muda a rotina dos parceiros. Ainda mais quando a separação envolve os filhos. Assim, essa mudança na rotina pode ser perturbadora no início, afinal, você estava acostumada com certas atividades que hoje não farão mais parte do seu dia. Porém, logo depois perceberá que fará grandes progressos em sua vida ao longo do tempo e, assim, experimentará novos desafios. Por fim, um item que você precisa estabelecer é ter estrutura em sua nova rotina e ser consistente. Até porque se tiver crianças, elas precisarão de rotinas previsíveis, consistentes e regulares. Portanto, mantenha-se firme e constante.

    Como superar a dor da Separação

    A dor da separação pode ser vencida! E você pode tomar algumas decisões aplicando em seu dia a dia. E lembre-se que o momento mais sombrio é o início da separação e é nessa fase que mais precisará ser forte. Algumas aplicações você pode fazer para que supere e vença:

    • Saiba que é uma oportunidade de crescimento. A separação abre uma janela de oportunidade para o crescimento pessoal, pois pode trazer desafios pessoais mais profundos ao que é superficial.
    • Reconheça que não há problema em ter sentimentos diferentes como raixa, frustração, cansaço, ansioso e outros mais. Então, aceite que reações como essas diminuirão com o tempo.
    • Reserve um momento para si mesmo. Saiba que ninguém supera uma dor da noite para o dia e que não precisa ser forte o tempo todo. Por isso, tire momentos para se curar, se reinventar, se reagrupar e se reenergizar.
    • Compartilhe os seus sentimentos com pessoas de confiança. Não passe por essa situação difícil sozinho ou se isolando. Se preferir, entre em um grupo de apoio que, certamente, o ajudará bastante
    • Não lute contra os seus sentimentos. É normal sentir altos e baixos e ter emoções conflitantes. Por isso, aceite-os e permita-se senti-los.

    Quando procurar um psicólogo e como ele pode ajudar? 

    O ideal é a procura pelo psicólogo logo nos primeiros indícios em que a separação pode ocorrer. Assim, algumas situações como quando você não sente mais que mora com o seu parceiro (distanciamento), falha na comunicação, muitas brigas, desespero, frustração, traição etc.

    Tratamento Psicológico para Separação

  • Assim, será possível fazer alguns ajustes e até retomar a relação que, muitas vezes, é disso que precisa. Porém, em outros casos, o rompimento deve ocorrer. Pode ser que uma conversa com um profissional o ajude a esclarecer a mente e a fazer enxergar por outro ângulo.

    Assim, ele pode ajudar você:

    • A não ter problemas com a sua saúde mental visto a separação ter um efeito negativo sobre ela, de acordo com este estudo.
    • Ensinar habilidades de enfrentamento para a nova vida a fim de que tenha uma visão mais saudável de sua separação
    • A se sentir mais encorajado e capacitado a lidar com os vários tipos de sentimentos e dores
    • A encontrar um lugar seguro para compartilhar os seus pensamentos e o que sente
    • Na superação dos desafios que enfrenta
    • Entender porque o relacionamento não deu certo e orientar a progredir na vida sem passar os mesmos problemas para o novo relacionamento

    Conheça a Psicóloga Fabíola

    Psicóloga Fabíola Luciano

    Especialista pela Universidade de São Paulo – USP

    CRP 104468

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Entre em contato!