O que é ser Expatriado?

Ser expatriado é viver em um país estrangeiro. Sendo assim, quando uma pessoa decidi sair de seu país de origem para morar em outro, ela é chamada de expatriada. Então, nada mais é que morar no exterior.

Quais as principais dificuldades de ser expatriado?

O expatriado enfrenta muitas dificuldades ao viver em outro país, seja para estudar, trabalhar ou acompanhar a sua família. E uma das que estão no topo são os problemas de saúde mental que podem acontecer durante o tempo que estiver nesse lugar.

Assim, de acordo com algumas pesquisas, ele é mais propenso a passar por estresse, ansiedade, depressão, abuso de álcool e drogas que aqueles que vivem em seu próprio país de origem.

Desse modo, entre as principais dificuldades destacam-se:

  • Barreiras culturais e linguísticas
  • Mudança climática e fuso horário
  • Perda do relacionamento que construiu ao longo do tempo
  • Impossibilidade de participar das atividades, reuniões e festas dos amigos e familiares
  • Adaptação a um novo estilo de vida
  • E outras!

Alguns fatores: Falar um pouco de cada um.

Distância da Família

Embora a decisão de morar em outro país seja para viver novas experiências e conhecer culturas diferentes, a distância da família acaba sendo um fator que pesa bastante. Sendo assim, ele além de sentir saudade também pode se sentir muito sozinho. E mesmo que as redes sociais tentem aproximar essa relação, o contato pessoal como abraço é um dos afetos mais desejados. Por outro lado, o expatriado ao passar por situações difíceis, ele dificilmente procurará os seus familiares para desabafar, o que pode comprometer a sua saúde mental.

Sentimentos de Isolamento

De acordo com uma pesquisa feita pela Global Healthecare, 9 a cada 10 expatriados possuem sentimentos de isolamento enquanto vivem em outro país. Além disso, quase a metade dos entrevistados afirmaram que a falta de amigos e familiares foram os principais motivos;

Para Tom Wilkinson, CEO da Healthecare, ele diz:

“Mudar para o exterior é um grande ajuste para todos os expatriados, e é incrivelmente comum experimentar sentimentos de isolamento, mas eles não devem durar para sempre. Garantir que você se cuide é realmente importante e cuidar da sua saúde mental é tão importante quanto a sua saúde física”. 

Solidão

A solidão é um dos desafios que muitos expatriados enfrentam. E isso se explica pelo fato de não ter contato pessoal com amigos e familiares. Também morar em um país diferente pode ser difícil construir laços confiáveis de forma rápida. Com isso, a tendência é o aumento de vazio em sua alma. Por isso, é primordial que o expatriado faça amizade e a consolide, participe de clubes ou grupo de interesse comum, pratique exercícios e se socialize.

Falta de Pertencimento

Outra dificuldade que o expatriado enfrenta tem a ver com a falta de pertencimento que sente. Ainda mais quando a cultura é muito diferente de onde nasceu e os modos de vida acabam por influenciar a sua personalidade. É como se ele não se sentisse parte daquele país, apesar de admirar. Assim, carrega essa luta dentro de si passando a se acostumar com o estilo.

Expatriados Terapia e Tratamento

Perda do contato presencial com família – festas, eventos importantes

Pesquisa realizada pela Global Healthecare declarou que 40% dos expatriados tem dificuldade de ficar longe dos familiares e amigos. Principalmente, na perda de contato presencial onde não participam de eventos e festas. Certamente, é um grande desafio a ser superado!

Dificuldade com Cultura

O choque cultural é uma dificuldade bem grande dos expatriados. De acordo com uma pesquisa, essa dificuldade com cultura é um fenômeno violento que afeta a todos que moram em outro país. É certo que a adaptação é um processo lento. Além disso, muitos deles, aprendem a conviver com ela. Assim, torna-se uma tarefa desafiadora todos os dias.

Problemas de Adaptação

Apesar de viver no exterior ser uma experiência gratificante e emocionante, os problemas de adaptação a um novo ambiente pode ser prejudicial. Até mesmo deixando o expatriado com vontade de desistir e voltar ao seu local de origem. Desse modo, será necessário um reajuste mental para que ele supere e saiba lidar com qualquer problema, seja com o clima, idioma, cultura, estilo de vida etc.

Idioma

Outra dificuldade que o expatriado enfrenta é o aprendizado do idioma no país em que mora. Mesmo que ele tenha estudado antes de se mudar, mas o contato real com os nativos pode ser uma frustração a acontecer.

Ainda mais se ele ficar ansioso querer logo dominar essa língua estrangeira e, com isso, dificultar mais ainda esse processo. Por isso, encontrar meios para se familiarizar com o idioma como utilizar apps, treinar a fala com alguém, assistir filmes, decorar novas palavras, todas essas iniciativas podem ajudar.

Estigma de ser estrangeiro em alguns países

Nem todo país aceita um estrangeiro com facilidade e nem mesmo é receptivo. Sendo assim, o expatriado também pode passar por preconceitos quanto a sua origem. E essa pode ser uma das maiores batalhas a enfrentar a fim de que conviva com harmonia.

Rede de Apoio diminuta

Toda pessoa é um ser social onde encontra apoio e suporte para encarar a vida com mais entusiasmo. E como expatriado essa rede de conexões, inevitavelmente, diminui levando-o a um esforço em criar novas relações pessoais.

Insegurança sobre ficar no país ou regressar ao pais de origem

No início em que o expatriado vive no país estrangeiro, a animação e o sentimento de ficar ali para sempre move seu dia a dia. No entanto, com o passar do tempo, devido as adversidades e conflitos, ele pode ter insegurança entre permanecer ou regressar.

É comum alguns deles não se conformarem com a realidade que estão vivenciando e voltarem por um motivo específico.

Dificuldade em Pensar em Perspectiva de Vida

O expatriado pode ficar no país estrangeiro por curto, médio ou longo prazo e, com isso, ser difícil pensar em perspectiva de vida. Muitas são as dúvidas que pairam em sua mente e até mesmo se continua estudando ali, se cria ou não raízes.

Como psicólogo pode ajudar?

Com auxílio e ajuda psicológica, o expatriado pode vencer todas essas dificuldades acima citadas. Um profissional de saúde mental poderá lhe ajudar das seguintes maneiras:

  • Dar orientações em como lidar com problemas e dificuldades no país estrangeiro
  • Auxiliar o expatriado a administrar a gama de emoções que sente
  • Fornecer suporte e apoio em suas necessidades e conflitos, frustrações
  • Ajudar a promover o bem estar na saúde mental
  • Contribuir para eliminar as barreiras linguísticas e culturais
  • Além de outros métodos visando o bom gerenciamento das situações

A importância da terapia para processos de adaptação

Estudos e pesquisas relatam uma alta incidência de distúrbios afetivos e de adaptação entre os expatriados. E, por isso, a importância da terapia nesse processo tão delicado em se adaptar a um novo estilo de vida que, na maioria das vezes, é o inverso do seu país de origem.

A terapia também auxilia o expatriado a lidar com a separação de seus familiares e amigos, o que é um dos principais motivos de depressão que ocorre enquanto mora no exterior.

Porque fazer terapia no seu idioma nativo?

Estudos revelam que fazer terapia em seu idioma nativo é duas vezes mais eficaz que em outra língua. E isso se explica pelo fato de ser mais fácil expressar os sentimentos sem que se traduza para o terapeuta. Além disso, fará com que se sinta conectado ao seu contexto atual e nativo.

(Porque é mais fácil falar de sentimentos sem tem que traduzir para outro idioma. Já é difícil acessar as emoções, em outro idioma pode tornar o processo mais difícil e um terapeuta da língua nativa da pessoa pode ajudar a trazer sentimento maior de compreensão, pertencimento e acolhimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Entre em contato!