Distimia Tratamento Psicológico Especialista USP - Psicóloga Fabíola

Distimia Tratamento como funciona, O que é Distimia, Quais são seus Sintomas, Fatores de Risco para Desenvolvimento da Doença, Como é feito o Diagnóstico, Como saber se tenho Distimia e Entenda se Distimia tem cura.

O que é Distimia?

Distimia é um transtorno psicológico semelhante à depressão, que acontece de forma crônica, gerando muito sofrimento aos pacientes portadores deste diagnóstico.

Se trata de um quadro clínico que corresponde a uma depressão, porém menos grave. As principais características das pessoas que sofrem com o transtorno são o mau humor, irritabilidade e tristeza, tudo por um período prolongado. Esse período prolongado é o agravante da Distimia que, apesar de ser mais branda que a depressão, dura mais tempo (de dois anos para cima).

O fato de o problema acontecer de forma crônica faz com que o cérebro fique mais sensível ao estresse, aumentando a vulnerabilidade a um episódio depressivo. Por isso, ao ser identificada, é preciso procurar ajuda de um Psicólogo Especialista em Distimia, pois o quadro pode se agravar e evoluir para uma depressão grave.

 

 

A Distimia atinge homens e mulheres, sendo mais comum em mulheres. A doença também pode se desenvolver em crianças e adolescentes. No Brasil, mais de 5 milhões de pessoas sofrem com este Transtorno e tem a qualidade de vida prejudicada.

Distimia Sintomas

Os sintomas Distimia são físicos, psicológicos e comportamentais:

  • Tristeza
  • Irritabilidade
  • Sentimento de inadequação
  • Falta de esperança
  • Pensamentos suicidas
  • Fadiga
  • Perda de prazer em atividades que antes gostava
  • Alterações de apetite
  • Alterações de sono
  • Alteração de Peso
  • Isolamento

Fatores de Risco para Desenvolver Distimia

Uma pessoa pode desenvolver a Distimia por diversos fatores que podem ter a ver com vários aspectos de sua vida. Se a pessoa vive ou trabalha em um ambiente onde se sente pressionada e estressada na maior parte do tempo, corre o risco de desenvolver o problema.
Fatores genéticos também podem ter influência para o surgimento da doença em uma pessoa. Ou seja, se no histórico familiar há parentes de primeiro grau com quadros depressivos, as chances de ter o problema aumentam. A distimia também pode ter ligações com traumas na história de vida ou alterações bioquímicas.

Diagnóstico de Distimia

Muitas vezes a Distimia acaba sendo confundida com uma simples tristeza ou mau humor, isso pode mascarar o problema e retardar as chances de um diagnóstico assertivo. Quando isso acontece o diagnóstico de Distimia costuma ser feito quando o transtorno já está instalado e agravado.

Normalmente, algumas características podem aparecer sutilmente desde cedo, mas costuma se desenvolver plenamente na idade adulta.

Em geral, a pessoa precisa apresentar Distimia Sintomas por um período de no mínimo dois anos para que seja considerada distímica. Será analisado o grau e a frequência com que o paciente se sente irritado, desanimado ou com qualquer outro sintoma que pode ser atribuído à Distimia, e a partir dai será avaliada a melhor forma de iniciar o Distimia Tratamento.

Como saber se tenho Distimia

Por ser confundida com mau humor ou tristeza os pacientes são comumente vistos como pessoas rabugentas. Mas há algumas características específicas da doença que a evidenciam e mostram que essas características negativas não fazem parte da personalidade da pessoa.

Se o mau humor que é normal em qualquer ser humano, se prolonga por muito tempo, é preciso procurar ajuda de um especialista. A pessoa distímica também tende a ser bastante irritada e, ao mesmo tempo, ter uma autoestima baixa. Se todos esses sintomas, somados a momentos de tristeza profunda, durarem por cerca de dois anos, as chances de ser Distimia são grandes. Porém, só é possível ter um diagnóstico preciso em uma consulta com Especialista em Distimia.

Distimia tem cura

Muitos pacientes após o diagnóstico se preocupam e chegam ao consultório querendo saber se a Distimia tem cura. Como os transtornos Psicológicos não tem uma única causa e como envolvem muitos fatores, é difícil afirmarmos que é certeza de cura.

Isso quer dizer que vou ter a doença para sempre? Não!

A Distimia pode ser tratada e ter seus eliminados completamente se a pessoa com o problema procurar a ajuda de um profissional especializado. Com o auxílio da Psicoterapia especializada (Tratamento Psicológico para Distimia) ou, em alguns casos, o uso de medicamentos prescritos por um Psiquiatra, o paciente pode voltar a ter uma melhor qualidade de vida em todos os aspectos.

Possíveis Consequências da Distimia

O paciente distímico geralmente perde um pouco do prazer pela vida e pelas tarefas do dia a dia.

A vida vai ficando muito empobrecida, devido ao constante mau humor, além das relações que podem se tornar  problemáticas, também em decorrência disso. Com o passar do tempo e devido à grande irritabilidade a tendência é que a pessoa passe a se isolar, mantendo-se cada vez mais antissocial.

Se não for tratada adequadamente, a Distimia pode gerar consequências mais graves, como o uso de álcool, drogas, isolamento social e até pensamentos suicidas. Nesses casos, o problema pode ter evoluído para a depressão e varia muito de acordo com cada caso.

 

A Distimia desaparece sozinha?

Não. Os sintomas não desaparecem sozinhos e sem ajuda profissional.

Ao se identificar com os Sintomas ou receber o Diagnóstico é preciso buscar por Distimia Tratamento.

 

Distimia Tratamento

Distimia Tratamento se mostra bastante eficaz quando associa a Terapia com Psicólogo e Tratamento Medicamentoso.

Distimia Tratamento Medicamentoso

O Distimia Tratamento Medicamentoso, em alguns casos, é essencial para que a pessoa reaja. É realizado por um Psiquiatra, que geralmente prescreve medicamentos antidepressivos, como inibidores seletivos da receptação de serotonina ou antidepressivos que atingem dois neurotransmissores diferentes, ou ainda medicamentos que sejam apropriados ao caso e sintomas apresentados.

Por ser um transtorno que pode ser afetado por causas biológicas específicas, os pacientes costumam responder muito bem à medicação, especialmente quando associada à terapia. O tempo de uso dos medicamentos e dosagem serão avaliados junto com o médico, de forma que seja eficiente para o caso de cada paciente.

Distimia Tratamento Psicológico

É essencial que, em conjunto com o tratamento medicamentoso, seja feita a psicoterapia com um Psicólogo Especialista em Distimia.

Existem diversos tipos de terapia psicológica, contudo, o que as pesquisas científicas e estudos na área apontam é que Distimia Tratamento através da Terapia Cognitiva Comportamental apresenta melhores resultados ao paciente, conseguindo melhorar os sintomas mais efetivamente.

Como Benefícios do Distimia Tratamento Psicológico o paciente deve esperar:

  1. Identificar as Alterações de Humor
  2. Conseguir lidar com tais alterações sem “descontar nas pessoas”
  3. Treinamento de Reconhecimento de Sentimento
  4. Treinamento de Assertividade
  5. Treinamento de Habilidades Sociais
  6. Desenvolvimento de Novo Repertório Comportamental
  7. Melhor Autocontrole
  8. Diminuição dos Sintomas e Pensamentos Negativos
  9. Melhora na Autopercepção e Autoestima

O tratamento ajuda na remissão dos sintomas e também na melhor qualidade de vida do paciente. Além disso, quanto antes iniciado, tão logo é possível perceber seus resultados, portanto se você se identifica com as dificuldades mencionadas não deixe de buscar ajuda profissional.

Conheça a Psicóloga Fabíola Luciano

Psicóloga Fabíola Luciano – CRP 104468

Especialista pela Universidade de São Paulo – USP

Prevenção

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *