Reprodução Assistida Psicóloga Especialista

O que é Reprodução Assistida?

Reprodução Assistida é um tipo de tratamento que consiste no uso de diversas técnicas, feitas em uma clínica por uma equipe médica, com o intuito tornar possível que uma mulher engravide sem ter relação sexual. O tratamento ajuda na fertilização e aumenta as chances de gravidez em pacientes que não conseguem engravidar por meio de reprodução natural.

Diversas complicações podem dificultar ou impedir a reprodução natural e, por isso, muitas mulheres ou casais procuram o tratamento para que seja possível gerar um filho. Geralmente, o tratamento é indicado por um médico após a tentativa de um casal engravidar naturalmente durante cerca de um ano.

Além de casais com infertilidade, a Reprodução Assistida também pode ser procurada por mulheres com mais de 35 anos, casais homoafetivos ou mulheres que desejam criar um filho sozinhas.

Reprodução Assistida Psicóloga Especialista

Diferença de métodos de Reprodução Assistida

Existem dois métodos que, apesar de diferentes, tem o mesmo objetivo. Após uma análise médica, o profissional pode recomendar qual o melhor procedimento para a mulher que deseja engravidar: Inseminação Artificial ou Fertilização In Vitro (FIV)

A Inseminação Artificial (ou inseminação intrauterina) e a relação programada contam com um procedimento mais simples, de baixa complexidade. A ideia é estimular, por meio de medicação a base de hormônios, a ovulação da mulher que deseja engravidar. Quando isso acontece, o sêmen é coletado, processado em um laboratório e injetado no útero da mulher. Alguns médicos afirmam que as chances de sucesso com a inseminação artificial giram em torno de 20%, mas tudo depende do histórico, saúde e idade de cada paciente, podendo variar para mais ou para menos.

A Fertilização In Vitro (FIV) é um tipo de tratamento mais complexo, pois os óvulos são fertilizados dentro do laboratório. Nesse procedimento, a mulher também é estimulada a produzir mais óvulos e, antes da ovulação, esses óvulos são coletados pelo laboratório, em seguida os óvulos são fertilizados pelos espermatozoides do homem. Os embriões se desenvolvem no laboratório de 3 a 5 dias e, só após esse período eles são transferidos para o útero da mulher. Para FIV alguns médicos afirmam que as chances de sucesso para o procedimento giram em torno de 40%, porém, isso deve ser discutido com o seu médico.

Reprodução Assistida

A escolha de qual caminho seguir deve ser tomada em conjunto com o especialista que está acompanhando, pois cada caso tem especificidades que devem ser levadas em conta de forma a aumentar a probabilidade de sucesso. Independente do método escolhido essa probabilidade pode variar muito aumentando ou diminuindo para cada caso individualmente.

 

Quando buscar a Reprodução Assistida?

Geralmente, mulheres e casais buscam a Reprodução Assistida devido à infertilidade. A impossibilidade de gerar filhos em uma relação sexual faz com que essa seja uma alternativa para engravidar.

A Reprodução Assistida pode ser necessária por diversos fatores relacionados à saúde tanto da mulher quanto do seu parceiro. Entre os principais motivos para se recorrer a esses tratamentos estão a endometriose, histórico de aborto, idade acima dos 35, presença de doença sexualmente transmissível e infecções pélvicas tanto na mulher quanto no homem, diabetes, alta pressão arterial, homens com espermatozoides em má formação ou com produção insuficiente.

O procedimento também pode ser feito por casais homoafetivos ou por pessoas que desejam ter um filho sozinhas. Nesses casos, é necessário recorrer a um banco de sêmen ou através da gravidez por substituição.

 

É certeza que vou engravidar?

As chances de engravidar não são de 100% em nenhum dos tratamentos para a Reprodução Assistida. Quando é feita a fertilização in vitro, as chances de sucesso aumentam em relação à inseminação. No caso de uma inseminação artificial, as chances são mais baixas genericamente falando, mas muitas mulheres conseguem engravidar com este método.

Além do tipo de procedimento existem outros fatores que podem influenciar positiva e negativamente nesse tipo de gestação. A idade da mulher, assim como em uma gestação por meios convencionais, influencia diretamente no sucesso do procedimento, principalmente se são usados os seus próprios óvulos. Geralmente, dos 35 anos em diante, a taxa de sucesso naturalmente cai.

Reprodução Assistida Psicóloga

Os motivos pelos quais a mulher ou o casal é infértil também influenciam diretamente na taxa de sucesso. Por isso, é importante que exista um acompanhamento médico especializado em cada caso. O profissional, a partir do histórico da mulher, vai definir como deve ser feito o tratamento para a Reprodução Assistida e qual a quantidade de embriões a serem usados. Tudo depende das características específicas da mulher, que vão desde a idade e questões físicas até as condições familiares e sociais.

 

O emocional interfere no processo de Reprodução Assistida?

Os fatores emocionais estão atrelados à saúde física de qualquer pessoa e, por isso, podem influenciar no caso da Reprodução Assistida. Dessa forma, é muito importante que haja não só um preparo físico para iniciar as etapas, mas também um preparo mental.

É provado que o estado emocional da mãe, durante a gravidez, pode afetar diretamente o bebê ainda no útero e causar efeitos a longo prazo. No caso de uma mulher que vai fazer Reprodução Assistida, mesmo não estando grávida, ela pode sofrer alterações no organismo devido a aspectos emocionais e, com isso, ter o processo alterado.

Por isso é importante que a mulher ou o casal, caso haja um marido, se sinta fortalecido. É importante, além do apoio psicológico, o apoio do parceiro, familiar e de amigos, que podem ajudar a mulher a enfrentar esse momento delicado e importante com mais calma e menos ansiedade.

Reprodução Assistida Psicólogo

Porquê fazer acompanhamento psicológico pode ajudar?

Por ser um tratamento intenso, com muitas etapas e que, muitas vezes, requer mais de uma tentativa, um acompanhamento psicológico é fundamental para quem vai fazer a Reprodução Assistida. As alterações hormonais que acontecem durante os ciclos, por si só, já modificam o estado emocional de quem realiza o tratamento. Além disso, a Reprodução Assistida pode causar ansiedade e, muitas vezes, o sentimento de incerteza, frustração e culpa. Algumas mulheres sentem essa alteração emocional quando realizam tentativas naturais de engravidar.

No caso da Reprodução Assistida, por geralmente ser feita em casos de infertilidade, é ainda mais comum a mulher desenvolver alguma complicação emocional, principalmente com a possibilidade de o tratamento não dar certo. Por isso, um acompanhamento psicológico é tão importante quanto o acompanhamento médico. A paciente pode, através da psicoterapia, trabalhar aspectos relacionados à ansiedade e às expectativas. É importante também que a mulher saiba exatamente cada passo do procedimento de Reprodução Assistida.

Se você está passando por este momento tão especial e delicado, não deixe de iniciar o acompanhamento psicológico especializado em Reprodução Assistida, podendo diminuir as angústias inerentes ao processo e fortalecer seu emocional.

Psicóloga Fabíola Luciano – CRP 104468

Especialista pela Universidade de São Paulo – USP

Conheça a Psicóloga Fabíola Luciano

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *