Compulsão Alimentar

eat

O que é Compulsão Alimentar?

A Compulsão Alimentar ou TCAP (Transtorno da Compulsão Alimentar Periódica) é um transtorno alimentar que se caracteriza por uma necessidade incontrolável de comer ainda que não tenha fome,  mesmo quando a pessoa já sente satisfeita fisicamente ela continua sentindo vontade de comer , portanto, continua comendo. Os pacientes que sofrem com o transtorno vivem momentos de crises em que perdem o controle e a quantidade de comida ingerida pode ser muito grande em pouco tempo.

Principais Sintomas

  • Necessidade incontrolável de comer
  • O desejo de comer não está relacionado à fome, mas ao descontrole imediato
  • Ingerir grandes quantidades de alimento de uma vez
  • Continuar comendo mesmo quando já está satisfeito
  • Episódios de descontrole em que se ingere muita comida
  • Sentimento de culpa, raiva ou vergonha depois de comer muito
  • Comer escondido
  • Não conseguir parar de comer
  • Comer muito rápido, sem perceber quantidade
  • Sensação de prazer intenso durante o ato compulsivo

Causas da Compulsão Alimentar

Diversos fatores estão relacionados ao desenvolvimento do transtorno da compulsão alimentar, e em geral nunca se trata de uma causa isolada ou específica, estando dois ou mais fatores envolvidos.

A princípio podemos destacar:

  • Fatores Psicológicos
  • Fatores Genéticos
  • Fatores Comportamentais
  • Fatores Biológicos

 

Ciclo Compulsão Alimentar

O paciente compulsivo além de conviver com os sintomas que causam muita ansiedade e sofrimento, acabam repetindo um ciclo vicioso em relação à alimentação. É natural que a pessoa se sinta muito mal pela repetição de comportamentos dos quais não gosta, por outro lado apesar de investir muitos esforços para mudar o cenário, nada funciona.

Veja abaixo como funciona o ciclo da Compulsão Alimentar:

compulsão-alimentar

Como avaliar a Gravidade?

Para avaliar a gravidade, levamos em consideração a intensidade e frequência dos episódios compulsivos.

  • Leve – De 1 a 3 episódios por semana.
  • Moderada – De 4 a 6 episódios por semana.
  • Grave – De 7 a 12 episódios por semana.
  • Extrema – Mais de 14 episódios por semana.

Ainda que o estágio da doença esteja em um nível considerado leve é extremamente importante o tratamento, isto porque os episódios não diminuem  com o passar do tempo, ao contrário, podem aumentar muito.

 

Quando procurar Tratamento?

Isso varia muito para cada paciente. Alguns buscam quando o peso está aumentando, outros quando não aguentam mais lidar com o descontrole.

O que vale você se perguntar é: Eu estou efetivamente conseguindo controlar esta situação? (e aqui eu não falo do peso e sim de conseguir controlar os impulsos).  Um dos grandes problemas é que, muitas vezes, os paciente não identificam a compulsão alimentar e acabam demorando muito para buscar ajuda profissional.

compulsao-alimentar

O Mito da Compulsão Alimentar

Não confunda a Compulsão Alimentar com Obesidade, pois nem todo paciente compulsivo é necessariamente Obeso. Este mito faz com que as pessoas deixem de buscar tratamento adequado, o que potencializa o problema.

É verdade que os episódios compulsivos podem trazer sim um aumento de peso, mas além das evidências científicas, minha experiência no consultório aponta que, ao contrário do que se imagina, a maioria dos paciente compulsivos Não são Obesos. Eles podem até ter Sobrepeso, ou dificuldade de controlar a balança, mas são coisas diferentes.

 

Tratamento para Compulsão Alimentar

O tratamento pode envolver uma equipe multidisciplinar especializada, composta por Endocrinologista, Nutricionista, Psicólogo e Psiquiatra (se for o caso).
O Tratamento para a Compulsão Alimentar ajuda o paciente a romper esse ciclo compulsivo e repetitivo. São utilizadas técnicas específicas que ao longo do tratamento trarão:

  • Aumento do Autocontrole Alimentar
  • Diminuição da Ansiedade
  • Melhor relação com a Alimentação
  • Diminuição dos Sintomas
  • Diminuição dos Episódios Compulsivos
  • Diminuição do Ciclo Compulsivo
  • Modificação de Comportamentos Inadequados

O tratamento especializado faz toda a diferença, comece já a sentir estes benefícios.

 

Saiba mais sobre os Transtornos Alimentares

Psicóloga Fabíola Luciano – CRP 104468
Especialista pela Universidade de São Paulo – USP.